Recrutamento e seleção no Twitter, Facebook, LinkedIn por país

22-06-2012 |
4929 Comentários |
Categorias:

A entrar em uma economia mais globalizada, a responsabilidade dos managers tem crescido. Cada vez mais o manager é o responsável por trabalhadores em mais de um país.

A economia global se apresenta como um desafio para os managers na medida em que precisam aprender sobre as normas culturais de seus encarregados, as leis relacionadas ao trabalho e as expectativas dos candidatos nesse novo contexto mundial. Mas antes ainda que os candidatos passem a ser trabalhadores, são os profissionais de recursos humanos os responsáveis por recrutar e atrair os candidatos em escala global.

As redes sociais, em particular, aparecem como uma oportunidade para captar candidatos internacionais em grande escala. Salvo que as normas culturais se misturam nesses espaços, os profissionais de recursos humanos são responsáveis pela seleção fora de seu país e devem aprender, a priori, as melhores práticas de recrutamento e o que funciona melhor, segundo suas necessidades.

LinkedIn: a principal rede de recrutamento social
Recentemente tem-se publicado dados interessantes sobre o uso das redes sociais nos países de língua inglesa. Segundo Bulhom Reach, que investigou as tendências mundiais de recrutamento nos Estados Unidos, Canadá, Austrália e Reino Unido, o LinkedIn segue como a principal ferramenta de recrutamento em todos os países. 89% das empresas de tamanho entre 200 – 1000 funcionários usam o LinkedIn na hora de recrutar pelas redes sociais. Não há nenhum mistério com o LinkedIn e nenhuma informação pessoal, fotos pessoais ou interesses fora da área profissional que possam intimidar a seleção de pessoal. O Facebook e o Twitter, em contrapartida, apresentam mais aspectos pessoais e de interesses diversos e mostram, ainda, detalhes sobre onde os candidatos vivem. É como comparar essas duas redes socias com um encontro informal em um café frente a assistir um evento de networking mais formal, como uma feira de trabalho. Os profissionais de recursos humanos devem aprender a tolerar, em primeira instância, este ruído social e escolher a rede que melhor convém, segundo o perfil que buscam.

Recrutamento no Facebook
Facebook é uma rede social amplamente utilizada para recrutar nos EUA e no Canadá. Sua função de busca é limitada e sua característica de rede fechada faz com que seja um pouco demorado para encontrar candidatos. É necessário que um candidato clique em “I Like” na página de fãs da empresa ou na página de ofertas para poder receber atualizações e alertas sobre oportunidades específicas. Isso torna a seleção mais difícil e é por esse motivo que um número crescente de empresas estão aparecendo no Facebook através de anúncios publicitários pagos, para, assim, recrutar e fazer a promoção de suas ofertas de trabalho.

Recrutamento pelo Twitter
O Twitter, pelo contrário, é uma rede muito aberta, o que facilita o recrutamento de candidatos em diferentes contextos. Ele é muito mais usado pelos profissionais de recursos humanos por essa mesma razão, independente de seu país de origem. Por exemplo; 53% dos profissionais de recrutamento do Reino Unido usam essa rede social para recrutar em comparação ao resto do mundo, que é de 28%. Nos Estados Unidos, 44% dos profissionais usam o Twitter para recrutar.

E você; como você está usando as redes sociais para recrutar pessoas? Existem diferenças de recrutamento entre os países? Há uma rede mais eficaz do que outra, na sua opinião, em relação aos países ou às indústrias?
© Blogging4Jobs

Se você gostou deste post, assine nossas atualizações (é grátis)

Leave a Reply

Comentários